O valor de perder quilos


Hoje a tarde eu presenciei o funeral de um amigo. Horas sem dormir e ao lado da família, desde o velório, não tive como deixar de refletir a afirmação…‘”as pessoas ficam surpresas ao receberem a notícia de um falecimento.”

Sim, é óbvio, uma pessoa partiu, é a primeira coisa que rola, o espanto, medo, desespero, temor, profunda tristeza. Mas tentei alargar mais, me perguntando, tentando entender um outro lado desse possível espanto, que no fundo pode conter um pouco de descaso e desleixo com quem se foi. Parece estranho falar isso, porque pode soar como meio sem noção, sem nexo. Mas realmente não adiantou nada aquele sentimento de ‘porque eu não fiz mais por tal pessoa’… depois que o tempo termina não resta fazer nada a não ser ficar no próprio lamento.

Por isso eu saio muito triste nesse fim de tarde, porque um amigo deu adeus a esse território de criações, porque eu não consigo entender se há amor naqueles que depois de muitos anos surgiram do nada tentando simplificar o abraço que nunca tinha sido dado. Sendo que a gente demonstra amor por coisas vivas, agindo, saindo das linhas de um poema e botando a mão na massa. Depois que não há mais vida no ser, como poderemos demonstrar que amamos mesmo aquela pessoa… E triste também, porque eu não fiz mais por ele, não amei mais, não me doei mais, não apreciei mais as qualidades dele, ao invés disso descarreguei minha língua de desculpas e julgamentos, diariamente.

É preciso amar as pessoas enquanto elas estão vivas. Apreciar os valores bons e ajudar na compreensão e mudança dos valores que machucam. Fazer o melhor enquanto respiram… Porque depois não vai adiantar nada querer ajudar. Na real a gente só vai poder ajudar a levar flores e de repente segurar no caixão… triste mas real verdade. Não tem como descrever a dor, a supresa ao saber do fato, mas é melhor ficarmos cheios de TEMOR e ESPANTO enquanto temos as pessoas ao nosso lado e colocarmos em prática os inúmeros cultos e pregações que nos fazem ficar como cada um julga estar, do que sentir isso no dia da perda, sendo que nunca antes se preocupou de fato com a pessoa… bem na real, é algo vazio(mas claro, pode haver o carinho e consideração pelo que se foi, quem sou eu pra julgar alguém… agora, nada substitui os dias que foram gastos num amor de doação, de entrega, de cuidado, de afirmação.)

Enfim, eu não quero me tornar um obeso de palavras, um gordão espiritual. As pessoas precisam de mais amor, o mundo precisa de mais amor, de mais valor.

Vai com Deus mano,

saudades já.
É. Duarte.

Fonte: http://ederduarte.wordpress.com


O primeiro carro atingido foi um Honda Fit de Joinville, que seguia para Florianópolis. De acordo com a Central Funerária, morreram no acidente Mariana Falk dos Santos, 19 anos, Fernanda Germano Turino, 29 anos e Janaína da Silva, 24 anos. Fernanda Marta Patrícia Costai, de 24 anos, passageira do Honda Fit, foi levada em estado grave para o Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí.
clique aqui e continue lendo...
http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/jsc/19,0,2877091,Acidente-com-seis-carros-deixa-tres-mortos-na-BR-101-em-Balneario-Picarras.html


Mariana Frequentava a Onda, estamos em oração para que Deus console os amigos e familiáres

2 comentários:

Meyreellen disse...

não entendi, foi o Duarte que escreveu?!?!

curti altos os texto :)

aondadura disse...

Está nesse blog

http://ederduarte.wordpress.com/