Coisas que se acabam...

Eu sei que isso pode parecer infantil, mas algum dia você já comprou uma bala, um doce, algo assim, e você ficou muito feliz porque é o seu predileto e porque ia come-lo, mas depois ele acabou. Parece óbvio, é verdade. Mas estava tão, tão bom enquanto você estava comendo mas uma hora ele acabou. E a primeira coisa que vem na nossa mente nessas horas é "como eu queria mais um desse", ou no caso das mulheres "como eu queria mais um desse e que ele não engordasse", haha...
Tá, mas voltando ao assunto, o que estava tão bom acabou, e o pior é que isso não é só com os doces... Tudo uma hora tem seu fim, até a gente! Há um tempo atrás gostavamos de andar de um jeito, escutar certas bandas e estilos de música, usavamos roupas de um estilo, e pensavamos, falavamos e viviamos outras coisas, outras piras. E hoje tudo mudou, aquela roupa muito massa que a gente tinha agora é palha pra caramba! Aquele som é de criança ou você não atura mais, os programas que faziamos hoje são sem graça e você nem pensa em falar as mesmas coisas que falava a um tempo atrás. Mas por que todas as coisas mudam, porque um tempo a gente gosta tanto de uma coisa, e gosta muito, e um tempo depois não pode nem ouvir falar, por que? Chego a conclusão que as coisas enjoam. É estranho pensar assim, mas (mudando o ponto de vista agora), o que gostamos muito de fazer hoje, daqui a um tempo será bem palha. Mesmo que nós gostemos muito. Que vida temos então! Estamos sujeitos e escravizados as nossas vontades, a moda que muda constantemente, a tudo que nos rodeia! Em vez de nós mandarmos nessas coisas, nós somos escravos dela. E nós sentimos muito mal quando não acompanhamos esta chamada "evolução". Vai dizer, é ruim ver as pessoas caminhando numa direção, e a gente não caminhar com elas, nos sentimos mal quando vemos todas as pessoas fazendo algo que não fazemos, mesmo que seja algo ridículo! Então somos escravos dessa "evolução"? Haha, somos. Mas como deixar de ser escravo dela? Se estamos tão fundo nela? Nesse caso somente uma revolução. Há muito, muito tempo mesmo, um homem chamado Paulo aconselhou as pessoas a "não se amoldarem ao padrões do mundo", vejo que isso cabe inteiramente no dilema que vivemos hoje, somente uma revolução para nos desligarmos desta coisa que é a "evolução", mas que revolução? E a muito mais tempo um homem começou a falar para as pessoas que elas não precisariam se preocupar tanto com o que comer, nem com o que vestir, mas deveriam se preocupar mesmo em fazer a melhor coisa que poderiam fazer: conhecer Quem as criou. Este homem foi e é o maior revolucionário de todos os tempos na minha opinião, falava as pessoas que elas deveriam amar aos outros como a si mesmas, e que deveriam buscar conhecer o Seu Criador, porque somento o Seu Criador teria as respostas para as perguntas sobre suas vidas - afinal de contas, somente o Criador sabe para que serve e como deve ser cuidada a criatura, não é mesmo? Por isso, vivam a maior revolução de todos os tempos: o amor de Jesus Cristo - que se sacrificou por todos nós, a fim de que conheçamos o Criador: Deus. Pense nisso.


Kaléu.

2 comentários:

Ellen Denise disse...

mto loco mesmo, como nossas mentes são traidoras e nossa vontades sempre tão insuficientemente preenchidas...

tinha que ser meu namo mesmo.

Suellen disse...

Fala ae galera
Massaaaaaa